sábado, 30 de março de 2013

Alcorão - Islamismo a Religião do Ódio e da Violência - Muçulmanos - Islã - Religião - Oriente Médio - Terrorismo

Você Sabe o que é “O Salto Quântico Genético”? [Clique Aqui]

- "Choramos ao nascer porque chegamos a este imenso cenário de dementes" -
(William Shakespeare, Dramaturgo, filósofo e poeta inglês)

Islamismo, a Religião do Ódio...
No alcorão no final do livro é dado ordens a todos os devotos para que esqueçam toda a tolerância e fraternidade, que devem usar de violência para punir e matar todos os infiéis, sejam do próprio povo, ou estrangeiros

Antes que alguém comente qualquer coisa, já deixo claro logo no inicio desse artigo que eu não sou cristão, não sou ateu/materialista. Eu combato todas as religiões e naturalmente o maior alvo é o Cristianismo já que estamos num país predominantemente cristão, como podem ver aqui nessa nossa pagina índice - [Clique Aqui], outra religião fortemente combatida aqui em essas paginas, e canais do Youtube, é o Materialismo/Ateísmo - [Clique Aqui], a posição do dono desse site é agnóstica.  O Islamismo, nisso tudo, é só mais uma religião, tão ruim como o cristianismo, e Ateísmo, que também mataram massivamente em nome da defesa de seus dogmas. Os rios, e oceanos de sangue derramados pelo cristianismo, e ateísmo juntos, são muito maiores e mais notórios que o derramado pelo islamismo... Você acha que o Ateísmo/Materialismo não derramou sangue? E o que me diz de Hitler, Pol Pot, Stalin, Mao Tsé-Tung e outros? A carnificina causada por Ateus/Materialistas idolatras da Teoria da Evolução foi tão grande quando a feita pelos cristãos durante as cruzadas, inquisição, e conquista das Américas. Rudolf Hess, (vice de Hitler) disse:  - "O nacional socialismo nada mais é do que a biologia aplicada" - [Livro, a Guerra contra os fracos, de Edwin Black]. Então essa nossa critica ao Islamismo não é baseada em preconceitos, ou por que defendo outra fé religiosa, nossa critica segue a tradição desse nosso site, que faz criticas a todas as religiões, sempre do ponto de vista da lógica, e da ciência aplicada, o islamismo é só mais uma...

Documentários - Veja Todos são 4 [Obs. Português de Portugal nos dois primeiros]:

Parte [1 de 3]:



Parte [2 de 3]:

Esse outro é praticamente uma continuação desse de cima, assistam com atenção! 
   Islamismo Religião do Ódio e da Violência - Islã - Alcorão:   

Islamismo - Alcorão - Maomé - História da Religião Islâmica - Religião do Ódio e da Guerra:

 Seqüência Brutal, apedrejado até a morte... por que? Por ter feito sexo fora do casamento...

Nesse documentário o Canal por assinatura National Geographic investiga as profundezas das ditas "Escrituras Sagradas" do Islamismo, o Alcorão. E o que se descobre é espantoso, esse livro desde o inicio foi distorcido de sua versão original, traduções descuidadas corrompeu o conteúdo e a "Estória" de como tal livro veio a existir é simplesmente estarrecedora! É inacreditável que um livro escrito da forma que foi tenha sido adotado por milhões de pessoas como "Verdade Estabelecida". Um livro cuja origem é extremamente duvidosa absurdamente editado, e totalmente mal interpretado (como o é a bíblia do primeiro e segundo testamento). Sendo que essas três religiões [Judaísmo - Cristianismo - Islamismo] são estreitamente ligadas, uma dando força para a outra nascer e se manter. O cristianismo até hoje reconhece o primeiro testamento (base da religião Judaica), e o Islamismo respeita e cultua o Judaísmo e o Cristianismo, tanto que Maomé adora Jesus e Maria, e foi "instruído" por "Deus" há ir para Jerusalém, e encima da pedra onde diz ele - "Abraão foi tentado por deus para sacrificar seu filho Jacó" - foi levado pelo Arcanjo Michael. Mais bobagem que isso impossível...

Conto de Fadas, igual ou pior que a historia cristã, foi a fundação do Islamismo, provas? Nenhuma...

As três religiões mais estúpidas e sanguinolentas da história estão ligadas como se fossem irmãs gêmeas! Jerusalém então é a cidade mais "sagrada", ou mais a Maldita do planeta? Vocês decidem... A alienação da grande maioria da população Islâmica é insano, muito semelhante ao que acontecia na idade média na Europa. As pessoas ali vivem na mais completa ignorância, achando que tudo o que esse livro distorcido diz é a mais "pura palavra de Deus", tanta estupidez só igualada aos Cristãos fundamentalistas e Judeus fundamentalistas. Nesse documentário vai ser apresentadas as provas que mostram que o Alcorão é pura ficção, puro engano, puro equivoco, pura insanidade! Existe outra religião de massa que tem os mesmos atributos, a Teoria da Evolução de Charles Darwin, [Clique Aqui] mas essa já é outra historia...

- "Só duas coisas são infinitas: o Universo e a estupidez humana. Mas eu não estou totalmente seguro quanto ao Universo..." [Albert Einstein]


Abaixo Vejam descrição do Segundo Vídeo, Intitulado - Islamismo Religião do Ódio e da Violência- Islã - Alcorão

Pessoas desinformadas aqui no ocidente alimentam a tola ilusão que o islamismo é uma religião que prega a "Paz", o "Amor" e a "Tolerância"... Essas pessoas acham que os fundamentalistas estão simplesmente interpretando mal as escrituras, assim como a Igreja Católica fez durante toda a idade média, quando promoveu as Cruzadas, a Inquisição, etc... Mas a história é bem outra... nesse pequeno mas instrutivo documentário [esse acima, o segundo], você vai ver historiadores, ex-islâmicos, teólogos, desfazendo o discurso sofistico dos islâmicos desonestos sobre o que realmente sua "escritura sagrada" manda eles fazerem. O Alcorão começa com versos de poesia e instruções positivas, mas avançando nas páginas o cenário muda... Maomé [ou outras pessoas usando do nome dele] reconfigura toda a escritura e passa a pregar o ódio, a violência, assassinatos, torturas para todos que não forem islâmicos, ou que se opõe a essa religião [isto é, pessoas dentro dos próprios países islâmicos que não concordem com os dogmas], assim os acidentais ficam confusos, eles leem o inicio do livro e há apenas muito amor, fraternidade e tolerância, porém o que os ocidentais ignoram é que as primeiras paginas são anuladas pelas ultimas, assim todo o discurso amável do começo do livro é simplesmente anulado pela sanha sanguinolenta do final. Isso mesmo que você leu, 'Alá' no meio do livro em diante diz com todas as palavras que as primeiras paginas foram anuladas, que agora devem seguir as novas ordens de ódio que ele passa a descrever, Acredite se puder...

Galeria Islamismo - Pura Insanidade

Ele apenas fez sexo fora do casamento, mas mesmo que fosse um estuprador, assassino, ladrão, uma morte como a que teve é desumana, nem animais merecem morrer assim, ele pode merecer ser executado, mas a execução deveria ser piedosa, injeção letal por exemplo...

Corpo da vitima de apedrejamento depois de ser retirado do buraco 

Mulheres são violentamente oprimidas nos países muçulmanos

As mulheres são as maiores vitimas de apedrejamento nos países islâmicos, mas essa imagem é de uma atriz

Já essa imagem é real, a historia dela é desconhecida, mas teve o mesmo fim que do homem acima

 Osama Bin Laden não foi o responsável pelos ataques de 11 de Setembro de 2001 [Clique Aqui], mas realmente promovia ataques terroristas contra os EUA e países ocidentais em nome de Alá

Bilhões de Pessoas seguem os ditos e não ditos de um livro cuja autoria, e concepção, são COMPLETAMENTE  duvidosos, infundados!

  
Maomé, figura tão manipulada, e distorcida, como Jesus - [Clique Aqui]

Mulheres oprimidas, deixadas na ignorância  não podem estudar, não podem dirigir, tem de obedecer todas as ordens dos homens sem questionar, são estupradas abertamente, agressões não podem ser reportadas com o perigo delas serem apedrejadas

 
Para não provocar desejos "pecaminosos" nos homens, elas são obrigadas a se cobrir, dos pés a cabeça 




Preconceito e opressão não é exceção nos países muçulmanos, é a regra!

 Islamismo, conseguiu ser ainda pior que Cristianismo e Judaísmo!

Islamismo comentários interessantes feitos no Youtube

Antônio Jose Carapito:

O Corão é como uma grande loja, um imenso supermercado, dele podemos retirar varias respostas, num sentido e todo o seu contrario. A partir do Corão podemos fazer paz, e com o Corão podemos declarar guerra. O Corão tem muitas vozes, os moderados apoiam a sua ideologia em alguns versículos do Corão, os radicais fazem o mesmo com outros versículos do Corão. Um Corão para a paz e outro para a guerra, extraordinariamente ilustrado pela historia do Islão.

Agloqueflugesola: 

Aqui está uma lista de passagens do Alcorão ou Corão que servem para provar que o islã é uma religião de ódio, de violência e que vive a cultura da morte.

1- Na bíblia aprendemos que Deus ama a todos, mas no corão não é bem assim. Na Sura 3.32 está escrito:

          “Obedeça Alá e o mensageiro, mas se eles se recusarem, saiba que Alá não ama os incrédulos”.

          De acordo com o Corão, Alá só ama os muçulmanos obedientes. Então, podemos nos perguntar: por que os radicais e terroristas muçulmanos não amam os não-muçulmanos? A resposta é porque assim ensina o Islã e o Corão.

2- Alá é completamente sem amor por não-muçulmanos. Na sura 48.29 está escrito:

          “Maomé é o mensageiro de Alá e aqueles que estão com ele são severos para com os incrédulos, porém, compassivos entre si”.

          Então, podemos nos perguntar: por que os políticos e a mídia não conseguem compreender o por quê dos terroristas islâmicos são tão “severos” com quem não é muçulmano ? A resposta é: porque assim ensina o Islã e o Corão.

3- Existem várias formas de ser “severo” com os incrédulos. Na sura 4.24 está escrito:

          “Também (proibida estão) mulheres já casadas, exceto aquelas (prisioneiras ou escravas) que tendes à mão”.

          Isso talvez pareça confuso fora de um contexto histórico, mas que você pode ler em Abu Dawid 2150. Quando Maomé ganhou a batalha de Autas, Alá já tinha lhe revelado que muçulmanos são livres para estuprar as mulheres cativas. Mas em Autas, o exercito muçulmano capturou algumas mulheres juntamente com seus maridos e alguns muçulmanos ficaram preocupados se iriam cometer adultério ao estuprar essas mulheres, pois elas eram casadas. Então, foi quando Alá revelou a sura 4.24 que diz que mulheres casadas são na verdade proibidas como parceiras sexuais, a menos que sejam prisioneiras, pois se forem prisioneiras eles podem estuprá-las à vontade que Alá não se importa. Portanto, podemos dizer que eles agem desta maneira porque a sua religião e o seu deus assim ensina e permite.

4- E quanto as pessoas que tentam impedir a implantação da Shariah? Na sura 5.33 está escrito:

          “O castigo para aqueles que lutam contra Alá e contra o seu mensageiro e semeiam a corrupção na Terra é que sejam mortos ou crucificados ou lhes seja decepada a mão e o pé opostos ou banidos.Tal será para eles um aviltamento nesse mundo e no outro sofrerão um severo castigo”.

          Uma vez que a definição de crime ou de “semear corrupção na Terra” não é clara, os terroristas muçulmanos podem interpretá-los como quiserem. Então, podemos nos perguntar: por que os terroristas islâmicos decapitam, crucificam e esquartejam aqueles que “semeiam a corrupção na Terra?”. A resposta é: porque assim ensina o Islã e o Corão.

5- Quando Maomé tinha o maior exercito da Arábia, ele tinha que destruir os idólatras e a mensagem do Islã tornou-se “converta-se ao Islã ou morra”. Essas eram as ordens de Alá para lidar com os idolatras. Está escrito na sura 9.5:

          “Mas quando os meses sagrados houverem transcorridos, matai os idolatras, onde quer que os acheis; capturai-os, acossai-os e espreitai-os, mas,caso se arrependam,observem a oração e paguem o Zakat, abri-lhos o caminho.Sabei que Alá é indiferente, misericordiosissimo”. Ou seja, mate-os, a menos que se convertam ao Islã. Isso não é coerente com os ensinos da religião e do Deus deles?

6- Uma vez que idolatras tem que se converter ou morrer, você deve se perguntar por que os terroristas islâmicos dão aos criatãos uma terceira opção, a opção de pagar a “Jizya”, dinheiro de tributo. Na sura 9.29 está escrito:

          “Combatei aqueles que não crêem em Alá e no Dia do Juizo Final nem se abstém do que Alá e seu mensageiro proibiram e nem professam a verdadeira religião daqueles que receberam o livro [as pessoas do livro são judeus e cristãos] até que paguem o “jizya” com voluntaria submissão e sintam-se submissos”.

          Então, o beneficio de ser judeu ou cristão de acordo com Alá é que você não necessita ser morto por se recusar a se converter, você tem a opção de pagar uma taxa aos muçulmanos como reconhecimento de sua inferioridade. Então, podemos nos perguntar se os terroristas islâmicos são malucos e radicais ou só estão seguindo o Corão à risca?

7- Mas os terroristas islâmicos não atacam apenas infiéis não muçulmanos. Os muçulmanos também são alvos. Está escrito na sura 9.73:

          “Ó profeta, combata os incrédulos e os hipócritas e sê implacável para com eles. O inferno será sua morada. Que pobre destino!”. A palavra “implacável” usada acima expressa “jihad”. Então, os radicais islâmicos são ordenados a promoverem a jihad não apenas contra os infiéis, mas também contra os hipócritas, que são os que se dizem muçulmanos, mas que não fazem o que Alá lhes ordem. A punição pode variar pelo grau de hipocrisia, mas quando muçulmanos se desviam do núcleo do islamismo eles são considerados “apostatas” e a punição é a morte.
        
          Então, quando terroristas ou radicais islâmicos matam os muçulmanos que não seguem as doutrinas centrais do Islã, eles estão apenas cumprindo ordens de Alá.


8- Mas e quanto aos muçulmanos pacíficos que condenam a matança em nome de Alá e em especial os do Ocidente. Infelizmente, os muçulmanos ocidentais não representam os muçulmanos do oriente médio e não tem nenhuma força política. Os muçulmanos são definidos por Alá como está escrito na sura 9.11:

          “Certamente Alá cobrará dos fiéis o sacrifício de seus bens e pessoas em troca do Paraíso, combaterão pela causa de Alá, matarão e serão motos”. Ou seja, Alá define os fieis como aqueles que chacinam e são assassinados, aqueles que matam até serem mortos. Estes, portanto, o fazem pela fé e em nome do Alá e do Islã.

9- Aos muçulmanos ou adeptos do islamismo é permitido buscarem paz apenas quando não estão em posição de subjugarem os seus inimigos. Na sura 47.35 está escrito:

          “Não fraquejeis e se intimidem, pedindo paz, quando sois superiores; sabei que Alá está convosco e jamais defraudará as vossas (boas) ações”. Quando a comunidade islâmica é forte o suficiente para matar os idolatras e para subjugar os judeus e cristãos e lutar contra os hipócritas, a paz não é uma opção. Se você busca paz quando é predominante, os radicais e terroristas islâmicos irão lhe chamar de hipócrita.

10- Este verso final parece estar fora de lugar por não falar de morte, chacina ou estupro, mas ninguém pode entender o verso sobre o estupro e chacina se encaixam no Islã como um todo sem estudar a sura 2.106 que diz:
   
          “Não ab-rogamos nenhum versículo, nem fazemos com que seja esquecido (por ti), sem substituí-lo por outro melhor ou semelhante. Ignoras, por acaso, que Deus é Onipotente?”

          Pessoas do Ocidente tentam defender os muçulmanos ou o islamismo citando versos pacíficos do Corão. Mas esses versos pacíficos foram revelados antes de Alá comandar seus seguidores a matarem os idolatras, cristãos, judeus e hipócritas. Então, o verso mais importante que você tem de conhecer, se quer entender o Estado islâmico, os radicais e Terroristas muçulmanos é a sura 2.106, que trata da doutrina da ab-rogação, onde versos antigos se tornam abolidos ou cancelados por versos mais novos, o que significa que versos do Islã que se opõem à violência estão agora obsoletos.


Sura 47: 4: "Quando você se encontrar com os incrédulos, golpeie o pescoço ..."


Ivani Medina

Costuma-se dizer que nem todo muçulmano é terrorista, mas todo terrorista é muçulmano. A cultura do islã é a cultura da paz, dizem eles. Pois farão de tudo para que o islã prevaleça no mundo. Aí então, segundo eles, haverá paz. Simples assim...

Sandro Molina

Maomé foi um FALSO Profeta!!! Ele não recebeu revelações de anjo nenhum! A revelação que ele diz ter recebido, ele COPIOU da Torá dos judeus e da Bíblia dos cristãos. Parafraseou tudo! Repaginou narrativas, mudou histórias bíblicas - até teve a ousadia de dizer que os Profetas do Antigo Testamento eram árabes e não judeus - e fundou o Islamismo, em 612 d.C.
Saibam que o Velho Testamento fechou seu cânon em 410 a.C., e que o Novo Testamento, em 100 d.C.; e que Maomé morreu em 632 d.C., e somente 20 ANOS DEPOIS é que o terceiro califa muçulmano, Otman, decidiu o que deveria ser INCLUÍDO ou EXCLUÍDO do texto final do Alcorão. Ou seja, quase 1.200 ANOS DEPOIS que o Antigo Testamento já tinha fechado seu cânon, e 552 ANOS DEPOIS que o Novo Testamento tinha sido revelado.

Maomé era um simples coraixita (tribo árabe nômade) analfabeto, sem nenhum conhecimento teológico, pobre, que só "subiu" na vida, dando o golpe do baú na velha viúva Khadija, uma rica comerciante judia (e também devido aos espólios de guerra). Ele conviveu muitos anos com judeus (e cristãos) em Medina (atual Arábia Saudita), que dominavam o comércio da época.
Maomé rejeitou o cristianismo e tinha ódio dos cristãos da época - na mesma intensidade que os judeus tinham - pois eles não o receberam como Mensageiro de Deus (Alá) e não negaram a Jesus Cristo para se converterem ao islamismo! É por isso que ele colocou tantos versículos (suratas) de "morte aos infiéis". Maomé repetiu a crença dos judeus com quem ele conviveu que negavam a Divindade de Jesus, como Filho de Deus; que negavam a doutrina da Trindade: "um Deus em três pessoas": o Pai, o Filho (Jesus Cristo) e o Espírito Santo. 

"Waraca Bin Nawfal" foi um judeu, parente de Khadija, primeira esposa de Maomé, que tinha se convertido ao cristianismo e que traduzia a Torá e os Evangelhos para o árabe, a pedido de Maomé. Muita coisa Maomé aprendeu com ele. É por isso que a inspiração de Maomé no início foi de fonte judaico-cristã! É por isso, por exemplo, que os muçulmanos rezam voltados para Meca, porque Maomé copiou tal ato dos judeus que rezam voltados para Jerusalém. É por isso que o antitrinitarismo (negação da doutrina de "um Deus em três pessoas") é tão forte no islamismo, assim como o é no judaísmo. Tudo isso explica as inúmeras "coincidências" de práticas islâmicas com práticas judaicas, sejam na forma de rezar, nas proibições quanto à comida, no jejum, na relação homem-mulher, nos comportamentos etc.

Maomé foi um SAFADO, MENTIROSO e OPORTUNISTA. Criou uma religião FALSA, plagiada do judaísmo e do cristianismo, mergulhada no ÓDIO, VIOLÊNCIA e MORTE!!!

Marques Bertellini

+Ivani Medina islã não é uma religião de paz, tolerância   eu provo isso baseado no que o seu livro o Alcorão manda : Quando estiver em menor número sejam pacíficos com os infiéis mas quando for maioria destrua todos eles !! é ai essa paz é apenas estrategia  A minoria radical Extremista  muçulmana tem o apoio direto ou indireto da maioria da população ou da liderança politica e da elite deles eu desafio você e qualquer um Muçulmano  fazer manifestações contrárias à sharia e aos crimes cometidos em nome de Alá e Maomé em nenhuma parte do mundo pelos muçulmanos. O islã não é uma religião de paz a politica tolerância e justiça - é o contrário. Quem ainda não entendeu isso é desinformado e ingênuo ou desonesto intelectualmente . tática e clara usada pelos comissários muçulmanos que desejam ofuscar essas verdades para dar uma pílula para dormir para a sociedade Cristã de modo que ela fique dormindo durante a Islamização da Europa Dormindo durante uma traiçoeira é falsa No alcorão esta escrito: " quando estiver em menor número sejam pacíficos com os infiéis, mas quando for maioria destrua todos eles " Os bons muculmanos querem fazer com que isso aconteça ou seja

islamizar a Alemanha e a Europa para satisfazer as exigências de Maomé do melhor modo possível  ou seja sendo pacíficos para seduzir
e novos muçulmanos convertidos
ou Seja isso é uma estrategia  essa conversa que o abrandamento das brutais leis teológiicas muçulmanas , terorias,etc é apenas para enquadrá-las dentro de uma sociedade livre é democrática ,o que é imediatamente criticada e atacada pelos muçulmanos eles odeiam a democracia é o Islã o Alcorão prega a Scharia  Se você está falando  que os  fundamentalistas islnãmicos estão exagerado isso é injusto, porque estes fundamentalistas representam exatamente os 100% do islão como ele é em todas as suas formas ou seja seguem de A a Z.

eu sei que eles fazem jejum ,eles rezam eles seguem as leis eu sei que eles estão prontos para matar ou serem mortos a fim de cumprirem o que manda o Alcorão
O Muçulmano é comandado na sura(9 verso 41)são ordenados a trava guerra santa de maneiras diferentes: Não é apenas com bombas ,guerra ,armas , mas com táticas inteligência. essa é uma tática por meio pacifico funcionar é deve ser o primeiro a ser usado ,especialmente quando em Pais  em que são inferior militarmente, se não pode entra pela porta da frente usar a porta de trás. para estabelecer o Islão na sociedade isso já estar acontecendo na Europa é agora na América Estados unidos é aqui no brasil .

O  Objetivo dos Muçulmanos e esse implantar uma islãmização do planeta para o dominar a logo prazo aplicar o Califado a Schaira.  visita de um promotor do wahabismo ao Brasil, o xeique saudita al-Arifi, passou quase desapercebida aos olhos da população se não fosse uma reportagem da Revista Veja e outra do Domingo Espetacular. A reportagem da Revista Veja é exata no que ela retrata. O xeique al-Arifi é um promotor da virulenta ideologia wahabista e, como retratado por nós anteriormente, tornou-se famoso no mundo por "pérolas" tais como fatwa permitindo que jihadistas lutando na Síria e Iraque estuprem as mulheres sírias, uma outra permitindo o estupro e o "casamento temporário" para os jihadistas lutando na Síria, vídeos que o mostram advogando o assassinato de infiéis ou descrentes através do esmagamento dos seus crânios ou cortando os braços e as pernas, bem como o espancamento de mulheres, além de ter sido banido da Grã-Bretanha acusado de aliciar jovens para o jihadismo. Apesar disso tudo (ou devido a isso tudo) ele é apreciado dentro do mundo do wahabismo e tem milhões de seguidores pela Internet.  O xeique al-Arifi é importante e influente, e sua influência atinge o Brasil

é quando essa Religião for maioria eles vão fazer a Scahria  mundial.

Ivani Medina

+Charles Ogic o que fazemos por aqui é dificultar a boa imagem que o islamismo tenta impor. No entanto, não podemos, como cidadãos comuns, impedir que brasileiros tontos se convertam. O estado laico é a nossa vulnerabilidade. O melhor seria um plebiscito visando a criminalização do proselitismo religioso. Mas, infelismente, os cristãos não querem. Na Grécia é assim e funciona muito bem.

CarLL Sαn†os

Agora vamos ver no alcorão onde que está citado Maomé:
Espera um pouco...
Não é citado!!
E ele sequer profetizou o que quer que seja. Por que? Porque falar é fácil, o difícil é provar.
https://www.youtube.com/watch?v=Rc0GtjX4I7U
E onde está Meca no alcorão?

Meca também não é citada.
Não há qualquer prova secular da existência de Maomé como profeta, nenhuma prova do próprio período, e este período é relativamente recente e sequer houve motivo para apagar a história por nenhum líder da época ou conquistador posterior.
Em contrapartida há apenas um livro que surgiu do nada décadas depois da morte do pseudo-profeta e tradições de alguém que ouviu falar de Maomé e da suposta história que ele foi um profeta.
As únicas provas históricas são plágios da Bíblia e que ainda são distorcidas com a tentativa de adaptar ao que está escrito no alcorão.
Aliás, tudo é distorcido, cada um interpreta como quer, até entre eles há matança atrás de matança porque não se entendem... portanto, plágio, bagunça, contradição, interpretação e manipulação deveriam ter o mesmo sentido.
E vale ressaltar que quando eles alegam sangue muçulmano derramado, eles deveriam ver quem os ataca. Eles deveriam estudar quem sãos os grupos responsáveis (grupo Bilderberg por exemplo) e fazer estes as vítimas de sua guerra, e não inocentes que também são alvos de ações destes grupos que estão querendo impor uma Nova Ordem Mundial.

Ivani Medina10 meses atrás
+Lillyanna Li É isso mesmo. Troca-se a ignorância pela crença para se pensar que sabe algo a respeito. É constrangedor. Mas, quanto ao islã (vergonha da humanidade), posso passar um resumo do pouco que apurei. É bom que os visitantes tomem conhecimento disso.

No século VII o chamado Império Romano do Oriente (Bizantino) encontrava-se em guerra com os persas (Sassânidas). Possívelmente para reduzir os custos na guarda das suas fronteiras, da Babilônia e do Egito, ambos o contentores optaram por contratar mercenários árabes. Os árabes comerciavam livremente com os dois lados e assim conseguiram amealhar fortunas. Ilustrados em ambas as culturas, cristã e persa; adestrados nas artes marciais e conhecedores das estratégias militares daqueles aos quais serviam; ricos o bastante para se assenhorarem daqueles domínios, só lhes faltava algo que pudesse unir e organizar seus diversos clãs: uma religião poderosa, a exemplo do que acontecia aos seus antigos contratantes.

Os bizantinos professavam o cristianismo e os sassânidas o mazdeísmo. Duas religiões monoteístas, sendo que ao mazdeísmo é creditado o início do chamado monoteísmo ético com a crença no paraíso, resssureição, chegada de um messias e o juízo final. A religião do deus Ahura Mazda (“Sabio Senhor”, divindade suprema criadora do mundo e a única digna de adoração), teria influenciado o judaísmo antigo dando seguimento a desdobramentos dessa concepção.

Sob tais condições surgiu o islã. Na sequência, os árabes investiram contra os romanos do Oriente e os persas, consumando vitórias na região antes de avançarem sobre a Índia e a Europa. Não é à-toa que o termo “islã” venha significar “submissão”. A ideia de dominar o mundo para Allah vem daí. É das mesquitas que os ataques ao Ocidente estão partindo e não somente de “terroristas”, como tentam justificar seus defensores. Países islâmicos como a Turquia e a Arábia Saudita apoiam o bárbaro e terrorista Estado Islâmico. Um monstro que também contou com os EUA e seus aliados ocidentais na sua criação, mas interessa sobremaneira ao islamismo sunita na garantia da sua hegemonia, propagação e vitória mundial sobre o islamismo xiita, liderado pelo Irã.

Vale lembrar de que a Arábia Saudita, berço do islã, é a difusora da forma ultraortodoxa do islamismo sunita, conhecida por wahhabismo ou salafismo. Esse movimento religioso, fundado no século XVIII, por Muhammad ibin Abd al Wahhab, procura purificar o islamismo das inovações surgidas depois do século VII que desviam dos ensinamentos do profeta Muhammad. O conceito inovador de Jihad (guerra contra os infiéis), como uma luta/guerra interior de superação do homem, surgido no século XI, no livro do intelectual islâmico chamado al-Kahtib al-Baghdadi (1002-1071), não é levado em conta por essa corrente ultraconservadora sunita.

A interpretação literal das palavras do profeta jamais caducou. Portanto, continua a valer o que está escrito e como está escrito no Alcorão. Eles sabem disso, nós não e ainda tentam nos iludir com muita hipocrisia. Aí vão uns poucos e profundos exemplos.

Surata 8, 60 Mobilizai tudo quanto dispuserdes, em armas e cavalaria, para intimidar, com isso, o inimigo de Deus e vosso, e se intimidares ainda outros que não conheceis, mas que Deus bem conhece. Tudo quanto investirdes na causa de Deus, ser-vos á retribuído e não sereis defraudados.

Surata 8:12 E quando o teu Senhor revelou aos anjos: Estou convosco; firmeza, pois aos fiés! Logo infundirei o terror nos corações dos incrédulos; decapitai-os e decepai-lhes os dedos!

Surata 8:13 Isso, porque contrariaram Deus e o Seu Mensageiro; que Deus é severíssimo no castigo.

Surata 9, 14 Combatei-os! Deus os castigará, por intermédio de vossas mãos, aviltá-los-á e vos fará prevalecer sobre eles, e curará os corações de alguns fiéis.

Surata 9, 111 Deus cobrará dos fiéis o sacrifício de seus bens e pessoas, em troca do Paraíso. Combaterão pela causa de Deus, matarão e serão mortos. É uma promessa infalível que está registrada na Torá, no Evangelho e no Alcorão. E quem é mais fiel a sua promessa do que Deus? Regozijai-vos, pois, a troca que haveis feito com Ele. Tal é o magnífico benefício.

Surata 9, 52 Dize (ainda): Esperais que nos aconteça algo? Só nos ocorrerá uma das suas sublimes coisas (o martírio ou a vitória). Nós, em troca, aguardamos que Deus vos inflija o Seu castigo, ou então o faça por nossas mãos, esperai, pois, que esperaremos convosco.

A Tunísia fechou 82 mesquitas por causa de atentados em seu território devidos à incitação à violência da parte dos seus clérigos. O governo tunisiano teve que escolher entre a estupidez religosa e a receita com o turismo europeu. Esta violência que se espalhou pelo planeta, é a nova fase que o islâmismo nos apresenta friamente, enquanto alguns ocidentais tentam botar panos quentes nesse puritanismo muçulmano escrachado. Saudoso e orgulhoso do seu passado, inclusive matando muito entre si (xiitas x sunitas x alauitas), explodindo mesquitas uns dos outros, repletas de fiéis, o islã nos fez contabilizar 25.000 atentados em 15 anos no furor de impor-se ao mundo. Os fatos aí estão e ainda querem nos convencer de que esta é a religião da paz.

Apoiar o islã jamais! Dificultar a sua propagação com a barreira da repulsa popular na defesa dos nossos valores ocidentais, aqui na América Latina, já está de bom tamanho. Toda mentira perfumada e arrumadinha que venha apresentar o islã como uma “religião” positiva deve ser prontamente desmascarada. A lei da reciprocidade deve prevalecer em resposta a essa perigosa arrogância cultural que odeia o Ocidente.

Ana Maria Temudo3 semanas atrás
Este é completamente parvo dizendo que os muçulmanos não são violentos, basta ver que eles matam quem não tem a sua opinião. A maioria dos alemães também não eram nazis e vejam o que eles fizeram. A Europa que não se acautele e vamos todos à vida.

guitarero ninja br2 meses atrás
no próprio corao esta escrito q maome tomou como esposa meninas de seis anos , o que prova q ele foi um pedofilo estuprador criminoso.

Ernest Benfilh11 meses atrás
Se os judeus cumprissem as 613 mitzvots... Ia faltar cristão...
ernandes sousa santos
ernandes sousa santos11 meses atrás
+Ernest Benfilh Concordo, é por isso que o judaísmo já cessou apesar de ter sido legítimo. Mas o islamismo tentou plagiar algo que já tinha acabado, e por isso que o bagulho tá louco, mano- cabeças rolando por coisas banais. Agora, vale ressaltar que, apesar de os preceitos judaicos serem violentos também, nunca vi judeu matar ninguém, pois eles sempre foram oprimidos. Coitados, nunca tiveram a chance de por em pratica seus preceitos, em contraste com o islamismo que arregaça. Bom, eu sou mais os judeus, pois com a opressão que sofrem desde a exilação de 70 depois de Cristo, os coitados tiveram que entender, na marra, que seus preceitos de condenação de morte já tinha acabado, era retrógrado para a atualidade. Mas Maomé insatisfeito inventou de plagiar e revalidar os preceitos judaicos. Não vejo judeu matando ninguém, pelo contrário, eles ficaram na calada, oprimidos, espalhados pelo mundo.

Ivani Medina11 meses atrás
A interpretação de “Jihad”, mais ao gosto ocidental, como a luta interior do indivíduo pelo autoaperfeiçoamento, só foi surgir quase quatrocentos anos depois da morte do profeta Muhammad, no século XI, quando recebeu o nome de “Jihad Maior”. Até então, existia apenas a interpretação original e literal do termo, que passou também a ser conhecida como “Jihad Menor”. Sabe-se que esse conceito mais recente, “Jihad Maior”, apareceu pela primeira vez em um livro de um intelectual islâmico chamado  al-Kahtib al-Baghdadi (1002-1071). É uma forma de interpretação herética que, por outro lado, favorece a expansão do islã por meios pacíficos.

É fato que nem todo muçulmano é terrorista, mas todo terrorista é muçulmano, no mundo de hoje. Portanto, “religião da paz” é que o islã não pode ser. Depois de um dos ataques mais recentes, a um balneário tunisiano (26/06/2015), no qual turistas europeus foram metralhados, 82 mesquitas foram fechadas na Tunísia porque seus clérigos incitavam os fiéis à violência. Aqui já não estamos a falar, exclusivamente, dos chamados grupos terroristas, mas sim de religiosos com uma responsabilidade social considerável. Sermão inflamado contra o Ocidente não é escandaloso no meio islâmico. O problema é que outros atentados do tipo certamente repercutiriam negativamente na receita tunisiana com a debandada dos turistas europeus.

Synal Profético9 meses atrás
Os   20 Mandamentos mortais do satânico  Maomé,o  muçulmano  fundador do Islão
Tu deves matar os não-muçulmanos para garantir receber as 72 virgens no céu. Alcorão 9: 111
Tu deves matar quem deixar o Islã. Alcorão 2: 217, 4:89
Tu deves decapitar não-muçulmanos. Alcorão 8:12, 47: 4
Tu deves matar e morrer por Alá. Alcorão 9: 5
Tu deves aterrorizar os não-muçulmanos. Alcorão 8:12, 8:60
Tu deves roubar e furtar os não-muçulmanos. Alcorão Capítulo 8 (Saque / Espólios de Guerra)
Tu deves mentir para fortalecer o Islã. Alcorão 3:28, 16: 106
Tu deves lutar contra os não-muçulmanos, mesmo que você não queira. Alcorão 2: 216
Tu NÃO deves tomar os não-muçulmanos como amigos. Alcorão 05:51
Tu deves chamar os não-muçulmanos de porcos e macacos. Alcorão 5:60, 7: 166, 16: 106
Tu deves tratar os não-muçulmanos como as criaturas mais vis, que não merecem misericórdia. Alcorão 98: 6
Tu deves tratar os não-muçulmanos como inimigos jurados. Alcorão 4: 101
Tu deves matar os não-muçulmanos por não se converterem ao Islão. Alcorão 09:29
Tu deves extorquir não-muçulmanos para manter o Islão forte. Alcorão 09:29.
Tu deves estuprar, casar e divorciar meninas na pré-puberdade. Alcorão 65:4, 4:3
Tu deves ter relações sexuais com escravas sexuais e trabalhadoras escravas. Alcorão 4: 3, 4:24, 5:89, 33:50, 58: 3, 70:30
Tu deves bater nas escravas sexuais, nos trabalhadores escravos, e nas esposas. Alcorão 04:34
Tu deves ter quatro testemunhas masculinas muçulmanas para comprovar um estupro. Alcorão 24:13
Tu deves matar aqueles que insultam o Islão ou Maomé. Alcorão 33:57
Tu deves crucificar e amputar não-muçulmanos. Alcorão 8:12, 47: 4

José Carlos Correia Gonçalves7 meses atrás
Na minha opinião só há uma coisa a fazer para proteger e acabar com estes problemas nos Países Europeus; ... Pegar em todos os muçulmanos islâmicos árabes quer nascidos ou não na Europa e correr com eles ou colocá-los a todos para fora das fronteiras dos Países Europeus sem poderem mais voltar a entrar em qualquer País Europeu, proibição absoluta de entrada. (Este seria um parênteses ou uma exceção à nossa democracia, ... o que terá que ser assim será, a nossa democracia não pode ser aplicada a essas criaturas pelo simples facto de que não a respeitam como nós a respeitamos)! ... Se querem ser como bichos então vivam como tal mas, fora das nossas fronteiras. Se querem guerra terão guerra pois, nós não temos qualquer tipo de medo dessas maléficas criaturas...

Claudio Costair2 meses atrás
este maluco ecocentrístico do Maomé doido e lascado da cabeça diz  no livro de satã o alcorão quê se alquém perseguir os  judeus e cristãos e os espreitar ,açoitar ,os matar irão para o paraíso!


Rotebuehl11 semana atrás (editado)
Se o Maomé ao menos tivesse sido "ecocentrístico", ainda vá lá...
Mas o sacana do Maomé não ligava nenhuma à ecologia! Só assassinava tudo e todos os que não lhe obedeciam, deixando mortos ás catadupas, esterco e mutilados por tudo o que era lado!

Rotebuehl

Pois é!
"Eles" operam segundo o seguinte princípio:  é bom ter confiança, mas melhor é controlar! 
Corta-se-lhes a clítoris e os lábios vaginais, e as mulheres ficam sem sensação nenhuma, o que as torna menos susceptíveis a apetites sensuais! É um método indefectível de aos maridos não serem postos os cornos...

...corta-se o mal pela raiz, assim por dizer hahahahaha
As filhas dos ricos são abscindidas em clínicas e sob anestesia, as filhas dos menos abastados são cortadinhas em casa, sem anestesia nenhuma, aos berros de dores, com a gentalha da família à volta, tudo em cantorias e comezainas de regozijo.
Que maravilhosa religião, não é?

E ainda há muitas mais peripécias do género na tal "religião pacífica" da corja da Mafoma!
E no fim de contas, toda a barbaridade cometida por aquela gente, claro está, é toda - todinha!!! - causada pelo ocidente, como é evidente... LooooooooooooooooooooooL

Amina Bint Al Zayed4 semanas atrás
MEU PAI ERA MUÇULMANO E ÁRABE,O PETROLEO DELE GERA EMPREGO NO TEU PAÍS,SEM CONTAR AS LEIS E INVESTIMENTOS FEITOS POR ELE E POR NOSSOS AMIGOS,SE FOSE ELES,VOCÊ NÃO TERIA INTERNET,CELULAR,TELEVISÃO,BOLSA FAMILIA E MUITAS OUTRAS COISAS,SENDO ASSIM,SERÁ QUE VOCÊ MERECE USUFLUIR O QUE É DE DIREITO NOSSO?

Rotebueh
O que é que o seu pai tem a ver com o petróleo?
Ai, aquele petróleo todo era do seu pai?
Parabéns!

Mas então explique lá, se não se importa, porque é que o seu pai emigrou para o Brasil, se tinha tanto petróleo?
Para além disso, minha linda Amina-filha-do-Zayed, o petróleo não gera emprego nenhum!
O que gera empregos são as inovações e os investimentos, quase todos oriundos do ocidente!
E mais: os celulares, as televisões, e "mais coisas", não dependem em nada (!!!) do petróleo, muito menos a bolsa família, ó sua rábula chalada!

Charles Ogic

+marccia manfa
os musulmanos são o mal sobre à terra
os bons são aquelles que não praticão
 a religião da morte

Ladroe1 mês atrás
Deus fez homem e mulher como entidades morais e livres. O islã fez da mulher um cobra que deve estar dentro de uma caixa porque causa do seu veneno!

Manuel Costa1 ano atrás
A lista de horrores já soa, a esta altura, familiar. Meninas proibidas de ir à escola e condenadas ao analfabetismo. Mulheres impedidas de trabalhar e de andar pelas ruas sozinhas. Milhares de viúvas que, sem poder ganhar seu sustento, dependem de esmolas ou simplesmente passam fome. Mulheres com os dedos decepados por pintar as unhas. Casadas, solteiras, velhas ou moças que sejam suspeitas de transgressões - e tudo o que compõe a vida normal é visto como transgressão - são espancadas ou executadas.

Claudio Costair2 meses atrás
após ouvir o alcorão ,colocam uma  765 na cintura ou no palitó e saem correndo atirando,coisa do capeta!
o demonio deu este alcorão a maomé, ele ficava possuido e pedia ajuda! maomé ficou possuido por satanas e ensinou a matar. esta escrito na surata 94,95 96 leiam!

Everaldo Silva6 meses atrás
Sei que o Islã na sua esência prega o ódio na sua Bíblia "Alcorão" Mas as outras por outro lado, Dissimina a arrogância, o egoismo e a falsa perfeição... Além do mais, uma minoria sádica e egoísta se aproveita dos incautos.

Amigo de Israel6 meses atrás
+Everaldo Silva Pode ser tudo isso, mas você não vê católicos, budistas, judeus, testemunhas de jeová, Jainistas, etc., etc., andarem por aí a matar, estuprar e torturar pessoas por estas não se converterem à religião "certa". Quase 100% do terrorismo global é islâmico. E o restinho é político e localizado.

Amigo de Israel6 meses atrás
+Everaldo Silva
A única religião que actualidade incentiva os seus fiéis a estuprarem, mutilarem, matarem, escravizarem, como vem fazendo há 1400 anos, é o Islão. Mais nenhuma outra religião manda fazer tais coisas, embora, obviamente, haja pessoas degeneradas e más que são adeptas de outras religiões. Mas nada se compara com o Islamismo. A quase totalidade do terrorismo global é islâmico.

Amigo de Israel6 meses atrás
+Everaldo Silva
Todos os dias há ataques terroristas, estupros, mutilações, queima de pessoas vivas, etc., ordenadas pelo Islão e no cumprimento do Alcorão. Não vê isso em qualquer outra religião. Longe já vão os tempos em que católicos e protestantes se queimavam vivos mutuamente e queimavam os judeus. Se não está a par, pode conferir por exemplo neste site: http://infielatento.blogspot.pt/

Amigo de Israel4 meses atrás
Quem já viveu sob o regime comunista e sob o regime nazi, diz que o Islão é pior que os dois juntos...

http://infielatento.blogspot.pt/

https://tiaocazeiro.wordpress.com

http://infielatento.blogspot.pt/ 

http://olhonajihad.blogspot.ca/

http://ombl.wordpress.com/


Antonio Jose Carapito5 meses atrás
Tantas mentiras que aqui se fala sobre o Islão. O Islão nunca produziu conhecimento, o islamismo queimou todos os livros e bibliotecas e omitiu o conhecimento de milhares de anos de civilização com o pretexto que o Corão, livro sagrado é todo o conhecimento... tantos mitos e mentiras que se apregoam para branquear uma civilização das trevas da barbárie e da morte.

Lillyanna Li10 meses atrás (editado)
Bizarro, muito mais do que se pode supor ! Nenhum ser racional e pensante pode aceitar uma baboseira dessas como diretriz para sua vida. Mudam os continentes, os povos, os trajes, mas os deuses persistem pois quando recitam suas orações parecem estar num estado de demência !
Onde foi parar o bom senso ??

Flavio golçalves1 ano atrás
Esse ano morrerrao centenas de pessoas em meca rezando e dando voltas na mesquita, se esse deus existisse realmente, seria racional pensar que ele não deixaria seus fiés morrerem pizotiados como um monte de¨gado¨amontoado.

Lillyanna Li10 meses atrás
+Flavio golçalves Pois é !  Não sei bem de onde tiram essa fé bizarra e bizonha que atribui tanta bondade a um deus genocida.
Deuses são psicóticos e psicopatas em sua essência .


CARA VC ESTA CERTO SO QUE SE VC PROCURA NO BRASIL NÃO ESTA DIFERENTE DE UMA OLHADA NAS IGREJAS  TODO  ALIENADOS  ESTÃO SENDO ENGANADOS NESTAS PORCARIAS DE IGREJAS  COMO UNIVERSAL  CHOU DA FÉ  COMO TEM MUITAS IGREJAS VOU SO CITA OS PASTORES MAIS VIGARISTAS CORRUPTO E LADRÃO  VALDOMIRO A POSTULO EDIR MACEDO MALAFAIA  FELICIANO MAGNO MALTA EDUARDO CUNHA  TEM MAIS PILANTRA QUE DIFAMA  FEREM ROUBAM ESMAGA MENTEM TRAI PERSEGUE E AS PESSOAS ESTÃO SEGA SURDA E MUDAS CONTINUA INDO PRO POÇO EM SILENCIO  NEM OS ANIMAIS DE MATADOURO FICA EM SILENCIO ELAS SE DEBATEM BERRAM E CHORAM.

Lillyanna Li10 meses atrás

+Ivani Medina Fé cega, faca amolada. Eles também acreditam que se vai a seu deus por amor ou pela dor. Mudam os trajes, a psicose da fé , permanece.
Responder    
 Ivani Medina
Ivani Medina10 meses atrás
Impressiona como uma estupidez dessas tomou dimensão mundial.
Responder 1    
 Lillyanna Li
Lillyanna Li10 meses atrás
+Ivani Medina
O ser humano vive nessa busca estúpida por sua origem e acredita piamente que a resposta para A Vida O Universo e Tudo O Mais esta nos deuses inúteis.


Ivani Medina9 meses atrás
Por que um saudita foi nomeado para o conselho dos direitos humanos na ONU?

http://infielatento.blogspot.ca/2012/03/organizacao-da-cooperacao-islamica-oic.html

A resposta a esse escândalo está aqui.

http://infielatento.blogspot.ca/2012/03/organizacao-da-cooperacao-islamica-oic.html 

“O Islão é uma religião de natureza pura. É proibido exercer qualquer forma de compulsão sobre o Homem ou explorar a sua pobreza ou ignorância com o propósito de convertê-lo para outra religião ou para o ateísmo.”

“[22a] Todos têm o direito de expressar a sua opinião livremente de um modo que não seja contrário aos princípios da Sharia”.

Ivani Medina9 meses atrás
O islamismo nunca foi inocente das próprias vicissitudes. A mentira não o salvará de si e a sua pretensão mundial vai por água abaixo. A posta no medo e na ignorância já teve seus dias.

A farsa se desfaz: os propagandistas do islamismo costumam apresentar o versículo 32 da surata 5  como exemplo de tolerância, respeito e preservação da vida, no Alcorão. Todavia, omitem o versículo seguinte, pois este contraria profundamente a falsa ideia que eles querem nos passar. Vejamos como fica esse contexto na realidade.

Surata 5:32 - “Por isso, prescrevemos aos israelitas que querem matar uma pessoa, sem que essa tenha cometido homicídio ou semeado a corrupção na terra, será considerado como se tivesse assassinado toda a humanidade. Apesar dos Nossos mensageiros lhes apresentarem evidências, a maioria deles comete transgressões na terra.”
Em alguns casos editam o início do versículo, “israelitas”.

Os judeus não foram perdoados pelo profeta Muhammad pela recusa da conversão ao islamismo.

Surata 5:33 - O castigo, para aqueles que lutam contra Deus e contra o Seu Mensageiro e semeiam a corrupção na terra, é que sejam mortos ou crucificados, ou lhes seja decepada a mão e o pé opostos, ou banidos. Tal será, para eles, um aviltamento nesse mundo e, no outro, sofrerão um severo castigo.

Mentirosos patológicos. 

Pedro Abreu1 ano atrás
"Você poderia facilmente detectar qualquer Religião da Paz. Seus membros extremistas seriam extremamente pacíficos."
- Ricky Gervais

Leandro1 ano atrás
+DAMÁSIO VALENTIM
Vc é mulçumano?

Eu tenho algumas curiosidades sobre o islã.
Uma vez eu já soube q no Corão, os capítulos anteriores são anulados pelos q vem em seguida. Isso é verdade?
Eu soube mas não sei nem se é verdade e nem como funciona isso.

E tbm eu queria entender o fato de q:
Se Islamismo veio nascer cerca de 500 anos depois da vinda de Jesus Cristo. Pq o q está no Corão é válido e o q está na bíblia não?
Pq se Maomé foi realmente visitado pelo mesmo Anjo Gabriel q visitou Maria para anunciar a vinda do Filho de Deus, isso quer dizer q Deus mudou de ideia não é? Ou não?

Num sei, são umas coisas assim q não dá pra compreender mt bem.
Pode-se dizer q eu sou mt ignorante ainda pq eu mal leio a bíblia, mt menos o Corão, mas são coisas q se deduzem pelo pouco q se vê por aí.

Por exemplo:
Os Cristãos dão a vida e morrem por Deus, mas tais atitudes são feitas como ato heroico de não negar a sua fé em Jesus e sofrer as consequências por isso.
Já os islâmicos parecem q se suicidam em nome de Deus, justamente para matar os infiéis a Alá. Sendo q suicídio é um ato totalmente contrário ao amor a sí próprio e ao próximo.

Se a fé islâmica crê no amor, pq acham q Alá está pregando o amor quando mada matar os infiéis?
Eu num sei sabe, me parece ser uma "fé cega".

Pq vc imagina se os cristãos fossem cegos sobre o q a bíblia diz nesta passagem por exemplo:
Matheus: 5: 29
"29. Se teu olho direito é para ti causa de queda, arranca-o e lança-o longe de ti, porque te é preferível perder-se um só dos teus membros, a que o teu corpo todo seja lançado na geena."

Todo cristão estaria se esquartejando por aí, pq todo mundo peca o tempo todo, até o Papa, e nem por isso tá todo mundo se cortando por aí.
Imagina, aí o Papa ia aparecer sem um olho, depois sem a mão, e assim vai...
Pq há como se chegar a Deus sem precisar de tais atitudes. Isso foi dito para as pessoas terem noção da importância de não ofenderem a Deus e não terem suas almas condenadas para sempre.

Isso até pode ser feito, mas o caso precisa ser extremo e a pessoa tem q está mt desesperada e decidida a fazer akilo para não mais pecar. Mas com isso ela vai está provando q é mais fácil cortar um membro de seu corpo do q amar a Deus se entregando totalmente de coração e se arrependendo de seus pecados.
Mas cada caso é um caso, e dependendo do caso isso pode ser totalmente válido para salvar a própria alma, contanto q isso não leve ao suicídio.

Eu nem tenho certeza se vc é muçulmano, mas caso vc seja, eu acharia interessante se vc pudesse responder a essas perguntas.
Khadija Kafir

+Leandro Oliveira Olá Leandro Oliveira. Achei suas perguntas muito interessantes. Eu sou uma estudiosa do islã e vou te responder algumas dúvidas suas:
1- É verdade que os versos mais recentes do Alcorão anulam os mais antigos. Isto se chama princípio da ab-rogação. Então é o seguinte: quando Maomé morava em Meca, ele começou a criar o Alcorão e não era violento. Depois que sua mulher e seu tio morreram, Maomé foi para medina e se tornou um homem muito violento. Então, infelizmente, os versos violentos do Alcorão têm prioridade sobre os pacíficos.

2- Para os que têm fé na Bíblia, o anjo Gabriel que falou com Maria não é o mesmo que falou com Maomé. Como é que sabemos? Porque Maomé chegou a afirmar que Satanás colocou versos em sua boca. isto está registrado em sua biografia chamada Al-tabari e o episódio ficou conhecido como "versos satânicos". Logo, não podemos acreditar em nada do que Maomé falou, pois ele não sabia distinguir Deus de satanás. Além disso o Alcorão é muito diferente da Bíblia no estilo e não pode ter sido escrito pelo mesmo deus.

3- É impossível comparar o que jesus falava com o que Maomé falava. Maomé estabeleceu UM CÒDIGO DE LEIS. Então quando ele falava em decepar, matar e outras atitudes violentas, ele queria instituir leis que realmente fizessem isso. já jesus falava mais em metáforas e ninguém podia interpretar literalmente o que ele dizia. Por exemplo: jesus disse: "eu não vim trazer a paz mas a espada" (Mateus, X: 34-36). Só que no fim Simão Pedro usou a espada para ferir o sumo sacerdote mas jesus condenou a violencia. (João 18:1-13) e (Lucas 22:49-51).

4- Não pergunte nada a muçulmano porque eles só leem os livrinhos bestas que as mesquitas vendem, e não leem as fontes originais islamicas.  Não há versões em portugues de tais livros. Eles não sabem de nada do Islã.

Fábio Stumpf:

Isso meu amigo, a verdade é essa.
O islã mente e engana.
No próprio alcorão o profeta Maomé manda o fiel mentir e enganar os cristãos e não islâmicos.


O perigo do islã no Brasil, Postado por Ivani de Araujo Medina em 3 fevereiro 2016 às 11:30 - O perigo do islã no Brasil: http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/o-perigo-do-isl-no-brasil

Diz-se que uma andorinha não faz verão. Nunca dei muita importância a isso. Em se tratando de algo importante para nós, temos mais é que ir a luta. Quando descobri que eu não era o único diante de tal preocupação, fui além dos comentários e comecei a publicar artigos. O negado confronto cultural está aí e um plano para a islamização do nosso país também. A nossa “presidenta”, em um discurso infeliz na ONU, no qual usou o termo “islamofobia”, sem saber o que dizia, deu prosseguimento à farsa internacionalmente engendrada.                                                                                     

O interesse pela desinformação insiste em proteger o islamismo da opinião pública como se fosse uma religião inofensiva, cujo principal interesse é promover a paz e a união entre as pessoas, como fazem muitas crenças existentes em nosso país. Dizer a verdade passou a ser incitação ao ódio. Será? Entretanto, a pretensão islâmica é dominar o mundo e impor seus preceitos e costumes absurdos. Pretende-se deixar o islamismo ao abrigo da crítica mais penetrante, pois o grande público desconhece a tamanha diferença existente entre esse modo de vida intransigentemente e perigosamente conflitado de uma simples e pacífica devoção.

Nossas preocupações se iniciaram com os rumorosos acontecimentos que envolvem a crença islâmica e depois com a disposição de Países como a Arábia Saudita e o Irã de investirem capital para a propagação dos respectivos segmentos do islamismo, sunita e xiita, no Brasil. Como em todos os países ocidentais, no nosso o estado é laico e não privilegia religião alguma. Garante o direito de crença e prática religiosa que o cidadão bem quiser. É justamente aí que começa a dificuldade, quando percebemos que estão querendo se aproveitar disso.

O islamismo não é uma religião coitadinha perseguida pelo preconceito e pelo racismo, como querem alguns. Nem religião é. Tampouco quer saber de integração com o Ocidente que odeia ao contrário das religiões aqui estabelecidas. Não nos poupa das suas críticas e se insinua como a única solução para os nossos grandes males. Surata 98:6 “Em verdade, aqueles que não creem na religião do islã, do Corão e no Profeta Muhammad, de entre as pessoas da Escritura (judeus e cristãos) e os politeístas entrarão no fogo infernal. Estas são as piores criaturas!”

Você se sente assim por não ser islâmico (a)? Claro que não. O matreiro islamismo travestido de religião é na verdade um modo de vida fechado no qual não há separação entre religião e política porque nele só existe o poder religioso: regula a vida privada, pública, costumes, direito civil e penal, sistema econômico-financeiro, deveres e tudo mais. Nenhuma religião daqui é assim. Não pode ser equiparado às simples religiões como o Candomblé, Seicho-No-Ie e Fé Bahá’i, por exemplo. Para nós ocidentais, e você sabe disso, religião é aquela que o indivíduo frequenta e depois vai para casa, para a vida comum.                                        

Essa tática de vender a imagem da “religião” coitadinha não confere com a história. O historiador Arnold J. Toynbee, ainda no século XX, nos anos 50, - quando George W. Bush ainda usava calças curtas, o assunto principal era a guerra fria e o medo de uma guerra nuclear - havia previsto que a próxima guerra do século XXI seria entre o islamismo e o cristianismo (Oriente X Ocidente). A questão geopolítica que hoje é usada para explicar tudo, na época, explicaria nada. Para quem gosta de história o islã nunca foi um mistério.

Pelo o que andei a bisbilhotar referente à origem do islamismo: no século VII o chamado Império Romano do Oriente (Bizantino) encontrava-se em guerra com os persas (Sassânidas). Por mais estranho que possa parecer, possivelmente para reduzir os custos na guarda das suas fronteiras, da Babilônia e do Egito, ambos os contentores optaram por contratar mercenários árabes. Os árabes comerciavam e abasteciam livremente com suas caravanas os dois lados com todo tipo de mercadoria. Assim conseguiram amealhar fortunas. Ilustrados em ambas as culturas, cristã e persa; adestrados nas artes marciais e conhecedores das estratégias militares daqueles aos quais serviam; ricos o bastante para se assenhorarem daqueles domínios dos senhores, debilitados por uma guerra que se arrastava desde o século anterior. Só lhes faltava algo que pudesse unir e organizar seus diversos clãs: uma religião poderosa, a exemplo do que acontecia aos seus antigos contratantes. Encontraram sua oportunidade na guerra e fizeram dela sua bandeira em nome da fé que criaram.                    

Os bizantinos professavam o cristianismo e os sassânidas o mazdeísmo. Duas religiões monoteístas, sendo que ao mazdeísmo é creditado o início do chamado monoteísmo ético com a crença no paraíso, ressurreição, chegada de um messias e o juízo final. A religião do deus Ahura Mazda (“Sábio Senhor”, divindade suprema criadora do mundo e a única digna de adoração), teria influenciado o judaísmo antigo dando seguimento a desdobramentos dessa concepção monoteísta.       

Sob tais condições de guerra surgiu o islã. No entanto, essa história continua sendo contada de forma fantasiada, como acontece a todas as crenças religiosas. Como se um lírio tivesse nascido no deserto por uma graça divina. Na sequência, depois das lutas internas, os árabes investiram contra os romanos do Oriente e os persas, consumando vitórias na região do Oriente Médio e ao avançarem sobre o norte da África, Europa e Índia. Não é à-toa que o termo “islã” venha significar “submissão”, a conversão pela espada. A ideia de dominar o mundo na marra para Allah vem daí. A propósito, “paz” em árabe é “salam”. Você já deve ter ouvido que islã significa paz, o que não é verdade nem etimologicamente. O mundo não islâmico é a Casa da Guerra e o mundo islâmico é a Casa da Paz. Porém, isso também não é verdade, pois vivem se matando.

A palavra “islamofobia” não existia até pouco tempo atrás. Fobia é medo inconsciente e a rejeição que o islamismo enfrenta nada tem de inconsciente da parte do Ocidente. Tampouco o significado desta palavra se justificaria de alguma maneira antes dos atentados iniciados pelos terroristas islâmicos. Desde o fatídico 11 de setembro de 2001, contabilizam-se em torno de 25.000 desses atentados tramados em mesquitas que continuam a crescer.            

O islamismo é uma cultura medieval que ainda vive naqueles tempos. Sentido o peso da rejeição mundial, fez-se representar por 57 países e pediu a ONU que combatesse as críticas feitas ao islã. Uma forma de amordaçar a crítica alheia diante do estrago que ele mesmo se causou. Aliás, senso crítico é coisa que o islã não permite aos seus. O termo islamofobia seria o rótulo para a criminalização das críticas ao islamismo. Por isso, dizem que islamofobia é crime “e os terroristas não são islâmicos. Dizem-se islâmicos”. A Arábia Saudita e a Turquia ajudam grupos terroristas como o Estado Islâmico por baixo do pano. É bom lembrar de que o clérigo Abu Bakr al-Baghdali, chefe do Estado Islâmico, é formado em filosofia na Universidade de Bagdá e PhD em islamismo. Não se trata de um ignorante qualquer a deturpar um credo por incapacidade intelectual.                                                                                                                                

A hipocrisia, mentira, desfaçatez são permitidas aos muçulmanos e tal licença recebe o nome de Taqiyya (dissimulação). Nas tentativas recentes de mudar a imagem do islã junto ao entendimento ocidental, a dissimulação está a toda potência. Vejamos alguns exemplos: A interpretação do controverso termo “Jihad” (Luta/guerra contra os infiéis do islã) recebeu a seguinte explicação politicamente correta para o consumo ocidental:

“Ao contrário do que muitas vezes é dito, jihad não significa uma guerra santa, implica mais numa luta interna com o objetivo de melhorar o próprio indivíduo ou o mundo à sua volta. Existem grupos extremistas que usam métodos violentos para transmitirem as suas ideias, mas esse não é o conceito original de jihad”.

Muito bonito, mas nada mais falso. Esta interpretação de “Jihad” só foi surgir quase quatrocentos anos depois da morte do profeta Muhammad, no século XI, quando recebeu o nome de “Jihad Maior”. Até então, existia apenas a interpretação original e literal do termo, que passou também a ser conhecida como “Jihad Menor”. Sabe-se que esse conceito mais recente, “Jihad Maior”, apareceu pela primeira vez em um livro de um intelectual islâmico chamado  al-Kahtib al-Baghdadi (1002-1071). É uma forma de interpretação herética que, por outro lado, favorece a expansão do islã por meios pacíficos. No entanto, a interpretação literal das palavras do profeta jamais caducou. Portanto, vale o que está escrito.

A Arábia Saudita, berço do islã, é a difusora da forma ultraortodoxa do islamismo sunita, conhecida por wahhabismo ou salafismo. Esse movimento religioso, fundado no século XVIII, por Muhammad ibin Abd al Wahhab, procura purificar o islamismo das inovações surgidas depois do século VII que desviam dos ensinamentos do profeta Muhammad. O conceito inovador de “Jihad” (Jihad Maior), surgido no século XI, não é levado em conta por essa corrente ultraconservadora sunita que não faz parte da lista de terroristas.

Claro que o islamismo nunca foi inocente das próprias vicissitudes ou da rejeição com a qual se defronta. De nada adianta absolver a maioria muçulmana quando a dificuldade está na própria fé, como o historiador Arnold J. Toynbee havia previsto muito antes das dificuldades que ora atravessamos. Outra tentativa de enganar a opinião pública, ao tentar dissimular sua imagem de sanguinolência, é quando dizem que o Alcorão condena assassinatos. No entanto, o próprio Alcorão demonstra que é exatamente o contrário.

Os propagandistas do islamismo costumam apresentar ao povo brasileiro o versículo 32 da surata 5, como um exemplo que contraria a “injusta maledicência a respeito do islã”, pois este defende e exalta a vida. Todavia, omitem o versículo seguinte, porque contraria profundamente a falsa afirmação. Veja como fica o contexto na realidade.

Surata 5:32 “Por isso, prescrevemos aos israelitas, que querem matar uma pessoa, sem que essa tenha cometido homicídio ou semeado a corrupção na terra, será considerado como se tivesse assassinado toda humanidade, apesar dos Nossos mensageiros lhes apresentarem evidências, a maioria deles comete transgressões.

Em alguns casos, suprime-se do versículo o termo “israelitas”. Os judeus não foram perdoados pelo profeta Muhammad por terem se recusado a conversão ao islamismo.

Surata 5:33 “O castigo, para aqueles que lutam contra Deus e contra o Seu Mensageiro e semeiam a corrupção na terra, é que sejam mortos ou crucificados, ou lhes seja decepada a mão e o pé opostos, ou banidos. Tal será, para eles, um aviltamento nesse mundo e, no outro, sofrerão um severo castigo.

Este é exatamente o preceito corânico que o Estado Islâmico respeita. Quando o indivíduo se sente liberado à barbárie pela sua cultura religiosa, são os atos dessa minoria altamente numerosa que vão deixar todos em perigo. Nesse caso, o ego coletivo pode ser comparado, argumenta o historiador Arnol J. Toynbee, ao poderoso e mitológico monstro bíblico Leviatã. Este poder coletivo a mercê das paixões subconscientes escapa à censura pessoal que freia os baixos impulsos do ego. A má conduta, que seria condenada sem hesitação, no entanto, quando o indivíduo transita do singular para o plural sob a instigação de clérigos exaltados, encontra a responsabilidade individual em recesso.

O islã é indefensável se não apelar para mentira descarada. Por isso a Taqiyya. As pessoas que desconhecem esse lado de ódio aos infiéis e mentiras envolventes, tendem acreditar nessas manobras porque, afinal, o islamismo fala tanto em um Deus misericordioso. Em algumas denominações evangélicas tem-se registrado casos de conversão ao islã. Recentemente, fui ameaçado de morte pela Internet por um pobre coitado desses. Pertenceu a igreja Assembleia de Deus antes de se converter ao islã, a exemplo de um pastor da mesma denominação. Passou a utilizar um nome árabe e agora é mais um crítico do cristianismo

A equivalência de nível entre alguns segmentos evangélicos e o islamismo tem facilitado às conversões. Para esses crentes, a vantagem é que o islã é imperativo e dá provas violentas do seu desejo. Assim eles se sentem mais à vontade para liberar sua demanda reprimida de intolerância monoteísta. Finalmente livres do cristianismo que lhes refreava, não escondem mais esse desejo. Como ilustração aqui vai a referida ameaça de morte que eu recebi por contrariar as mentiras islâmicas. A ortografia e a expressão são péssimas, o que, aliás, é característico desse nível de pessoa aqui no Brasil:

“Ivani Medina Por isso que na Europa e no Oriente Médio estão morrendo ateus...Voces sao intolerantes e provocam, claro provocação causa a morte por isso que a intolerância religiosa. Nao aceitamos intolerância e a pena pode chegar caro. Por isso aqui na internet luto para tentar manter a Paz mostrando as coisas boas que o Islam tem e vocês como intolerantes miseráveis, tentam estragar um trabalho de anos. Provocam, veja o que aconteceu no Charlie Hebdo, a mesma coisa vocês ateus miseráveis nao todos mas você e muitos malditos aqui estão pondo a cara em risco por contra a DEUS. Voces são os infiéis que o Alcorao determina através de DEUS para serem eliminados da Terra*. Por isso continue assim, quando acharem a cova, não responsabilize o Islam, responsabilize a sua descrença com DEUS. E orem por nossas crianças, idosos e todos para que nunca entremos em guerra pois se isso acontecer todos nós seremos extirpados pelo EI caso estes avançarem por culpa de vocês que provocam eles. O governo Brasileiro deveria colocar cada um de vocês na cadeia pois vocês incitam o ódio e isso é uma questão de segurança nacional como já enviei para a Policia Federal e Congresso Nacional contra a maioria de vocês. Quem praticar ideologias aqui serão anotados e enviados todas as denuncias contra vocês Continue incentivando o ódio que estarei sempre anotando vocês!.Minha obrigação como manutendor de paz é denunciar ódio contra as minorias...Waleikum Assalam irmão.”

* Surata 9, 14 Combatei-os! Deus os castigará, por intermédio de vossas mãos, aviltá-los-á e vos fará prevalecer sobre eles, e curará os corações de alguns fiéis.

O finalzinho, “Waleikum Assalam irmão” é resquício da vida de evangélico dele. O perigo de um Brasil islamizado no futuro próximo é real. O plano de islamização do Brasil por esses estados investidores prevê um prazo de vinte anos, quando imaginam tornar o islã a terceira “religião” do país. Do futuro se cuida hoje. Quanto maior o número de pessoas for esclarecido a respeito dessa invasão cultural perniciosa patrocinada por petrodólares, melhor. Os futuros brasileiros merecem o nosso cuidado com a obstrução da propagação dessa crença predatória em nosso país. Não se trata de uma questão religiosa, mas de um verdadeiro confronto cultural. Vamos vencer, pois temos méritos para isso.






Bruno Guerreiro de Moraes, apenas alguém que faz um esforço extraordinariamente obstinado para pensar com clareza...

Tags: Alcorão, alá, Arábia, Estupidez Generalizada, homens bomba, Islamismo, islã, livro sagrado, maomé, meca, Mulçumanos, oriente médio, profeta maomé, religião, terrorismo, Violência, Alcorão - Islamismo a Religião do Ódio e da Violência - Muçulmanos - Islã - Religião - Oriente Médio - Terrorismo

GoogleAnalytics

O que Está Acontecendo?

- “Lamento, eu lamento muito... mas a maior revelação que o ‘Salto’ trás não é consolador, mas sim perturbador. O Mundo em que estamos é um campo de concentração para extermino de uma Super Potencia do Universo Local”. [Bruno Guerreiro de Moraes]